{Inês} Review: Vidro Demónio (PT)

portugueseposts

Review by Inês (PT):
Vidro Demónio
(Demonglass)

Autor: Rachel Hawkins
Tradutor: Maria João Freire Anfrade
Data:
 Junho 2011 (originalmente 22 de Março 2011)

Editora: 1001 Mundos
Páginas: 286 (Capa mole)
Género: Fantasia Urbana | YA Bruxas
Série: Hex Hall #2
Idioma: Português
ISBN: 9789895577897
Cups:
5 Cups


A Minha Opinião:

Este livro, Vidro Demónio, é a sequela de Hex Hal“, os dois primeiros volumes da trilogia de Rachel Hawkins

Sophie Mercer é a protagonista desta saga. É uma personagem cheia de humor, cuja vida está repleta de segredos e revelações incríveis, quase inacreditáveis. 

Gostei mais deste segundo volume, pelo facto de a escritora responder a algumas perguntas e explicar melhor os conceitos criados no primeiro volume. Mas quando terminamos esta leitura, muitas outras perguntas ficam por responder, o que faz com que desesperemos até o terceiro volume, Spell Bound, ser editado em português, talvez pela mesma editora, a 1001 Mundos.

O Chefe do Conselho dos Prodigium, é uma personagem enigmática, que podemos desvendar neste segundo volume. Foi uma personagem que me surpreendeu pela positiva.

Esta história é composta por personagens diferentes, como, os demónios.

A acção principal decorre em Londres, na Mansão do Conselho, numa vila rural, durante as férias de Verão, em que os alunos se podem ausentar de Hecate Hall.

Sophie partiu para Londres, disposta a sujeitar-se à remoção, que é um processo perigoso, que consiste num procedimento para retirar os poderes que um demónio possui, deixando de ameaçar a segurança dos que o rodeiam, mas não garante a sobrevivência de quem se sujeita a tal prática.

Archer, continua a viver como membro do Olho (Occhio di Dio), caçador de demónios, mas surpreende sempre, nos breves instantes em que aparece. Confesso que gostei mais desta personagem neste segundo livro, pois demonstra uma preocupação verdadeira para com Sophie.

Cal é a grande revelação desta leitura. Gostei bastante de o conhecer melhor. É uma personagem interessante, um jovem bonito e reservado, mas com a aproximação de Cal e Sophie, a narrativa mudou para melhor, durante alguns capítulos.

Neste segundo volume, a autora desenvolve mais as personagens principais, dando a conhecer ao leitor o seu psicológico, demonstrando que há uma evolução na construção das mesmas. A narrativa detém um ritmo rápido, o que motiva o leitor a ler sempre mais um capítulo. À medida que o tempo vai passando, vai-se descobrindo as razões dos acontecimentos anteriores, o que permite ao leitor conhecer melhor as personagens.

A escrita de Rachel Hawkins é claramente dirigida ao público jovem, sobretudo, adolescente, utiliza uma linguagem demasiado descontraída, na minha opinião. A autora criou uma história muito interessante, embora pudesse desenvolver mais os diálogos.

O pai desaparecido e, praticamente desconhecido, de Sophie, aparece e dá-se a conhecer à filha, facto que me agradou e me ajudou a perceber o quanto são parecidos, principalmente no humor sarcástico. Gostei da relação que conseguiram estabelecer.

Na Mansão do Conselho, em Londres, conhecemos duas novas personagens, Nick e Daisy, que surpreenderão qualquer leitor, com revelações importantes e inesperadas. Ambos gostam de chamar à atenção e de quebrar regras, sendo uma boa companhia para Sophie e Jenna, que continua a acompanhar Sophie nesta aventura, pois Sophie recusa estar sem a sua companhia de confiança.

As personagens secundárias ganham uma forte relevância, o que as torna mais apelativas  e interessantes.

No primeiro volume acompanhamos os prodigium (bruxas, mutáveis, vampiros, demónios, lobisomens e fadas), no espaço que é o reformatório, Hecate Hall (que os prodigium apelidaram de Hex Hall) e neste segundo volume a acção passa-se no quartel-general do Conselho dos Prodigium.

Sophie é uma protagonista completamente diferente das outras. Conquista o leitor com o seu sentido de humor, pela ironia, demonstrando ter uma vida cheia de surpresas, que vão alterando o seu dia-a-dia, mas não a sua maneira de ser.

Neste livro, Vidro Demónio, a autora desenvolve muito mais as personagens secundárias, o que ajuda bastante no desenvolvimento da narrativa e traz novos elementos ao grupo, com agradáveis surpresas, que ajudam a desvendar segredos e a explicar certos conceitos que ficaram por explicar no livro Hex Hall.

A relação de forte amizade e cumplicidade que une Sophie e Jenna mantém-se. Jenna é a companheira de aventuras de Sophie, com as suas opiniões sinceras e directas, que fazem com que seja o porto de abrigo da amiga.

Em Londres começa uma longa aventura, onde Elodie surpreende Sophie, e, os acontecimentos se atropelam até ao epílogo emocionante, que deixa tudo em aberto.

Recomendo esta trilogia, que faz jus ao género “Young-Adult paranormal”, com seres mágicos, emoções fortes e muitas revelações.

 Agora só nos resta esperar pela tradução de Spell Bound, o derradeiro volume desta trilogia “Hex Hall”, de Rachel Hawkins.

Advertisements

3 thoughts on “{Inês} Review: Vidro Demónio (PT)

  1. Fico muito contente por teres gostado!! Também gostei mais deste livro do que o primeiro. Na verdade, é o meu preferido da trilogia! ;D

We love comments. If you wish, you can comment here and we'll try to reply to you as soon as possible. Thank you for stopping by :)

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s