{Inês} Review: Dividida (PT)

portugueseposts

Review by Inês (PT):
Dividida
(Torn)

16044844Autor: Amanda Hocking
Tradutor: Elsa T.S. Vieira
Data:
 16 de Outubro de 2012 

Editora: ASA
Páginas: 293 (Capa mole)
Género: Fantasia Urbana | YA 
Série: Trilogia Trylle #2
Idioma: Português
ISBN: 9789892321097
Cups:
4be0c-4cups


A Minha Opinião:

Nesta segunda parte da trilogia Tryllle, Dividida, continuamos a acompanhar a nova vida de Wendy, a princesa dos Trylle.

Neste volume há novidades na vida de Wendy, relacionadas com o “irmão” com quem cresceu e com o seu amigo Tove.

Os Vittra continuam a perseguir Wendy, ameaçando as pessoas que são importantes para ela.

Amanda Hocking tem uma escrita que flui rapidamente, criando um universo muito diferente do habitual, no género fantástico.

Não gostei, particularmente, do primeiro volume, os acontecimentos surgiram de uma forma um pouco incoerente, na minha maneira de ver, e, as atitudes da protagonista não me agradaram, na maior parte da leitura.

Wendy, como princesa, enfrenta vários desafios, propostos pela sua mãe, Elora, a Rainha dos Trylle.

Acontece que não gostei muito do primeiro volume, mas adorei o segundo desta trilogia e já comprei o terceiro, pois estou muito curiosa por saber o desfecho da vida de Wendy como Rainha.

Oren é o rei dos Vittra, um troll malvado que persegue Wendy e despreza Elora, a Rainha Trylle. Sara é curandeira, Rainha Vittra, causou uma boa impressão, doce , amável e simpática.

Wendy e Rhys fugiram de Forening, onde viviam com a Tribo Trylle e foram postos à prova pelo inimigo.

No fim do primeiro volume, Trocada, Wendy e Rhys fogem do Reino dos Trylle. Neste segundo livro, Dividida, Wendy volta à casa onde cresceu e reencontra o seu irmão adoptivo, Matt.

Loki é um localizador, neste volume ajuda Wendy a trazer Matt e Rhys do meio de uma situação perigosa. É interessante ver a relação de alguma proximidade entre Rhys e Matt.

A acção e o romance fazem parte desta narrativa. Willa e Matt conhecem-se e a relação de ambos vai evoluindo positivamente.

Confesso que a primeira impressão que tive da saga Trylle, de Amanda Hocking, não foi muito positiva. Considerei um universo pouco interessante e confuso. Mas decidi dar uma segunda oportunidade a esta trilogia e não me arrependo da minha decisão.

No segundo volume, compreendi melhor as temáticas e os objectivos que a autora pretende transmitir ao leitor. A sua escrita flui bastante bem, os capítulos são curtos, o que torna o livro acessível a qualquer leitor.

A Rainha Elora demonstra uma súde frágil e pretende preparar Wendy para o seu futuro cargo de Rainha.

Wendy e Finn continuam afastados. Conhecemos um lado diferente de Finn, mais pessoal, mas as suas opções não me satisfizeram, pois o afastamento, neste caso, não ajudou em nada a vida confusa de Wendy.

Tove é a grande surpresa deste livro. Ajuda Wendy a desenvolver os seus poderes, apoiando-a em tudo.

Forening é a comunidade dos trolls, onde Wendy, Tove e Elora desenvolvem a narrativa, na maior parte da leitura. Aurora, mãe de Tove, continua a apoiar Elora e os filhos de ambas, mas a relação de ambas não é pacífica.

A escrita da autora é especialmente dirigida ao público jovem. É leve, divertida, o que proporciona um certo divertimento ao leitor. Senti que neste segundo livro, a autora conseguiu explicar melhor a sua ideia inicial sobre a trilogia.

Wendy continua dividida entre dois amores, não compreendo bem alguns aspectos, que ainda estão em aberto neste livro, mas no terceiro volume, a conclusão desta história ajudará, provavelmente, o leitor a entender alguns aspectos e a satisfazer curiosidades temáticas, ainda em aberto.

Loki é um jovem cheio de si, gosta da maneira de ser de Wendy e aproxima-se dela.

Finn, volta a desiludir, com a sua obsessão pelo “politicamente correcto”, afasta-se dos seus sentimentos, tornando-se distante.

Wendy torna-se mais responsável e decide preparar-se para assumir o seu lugar como Rainha Trylle.

Elora enfraquece a cada dia, faz pedidos importantes a Wendy, para os quais esta ainda não se sente preparada. 

A pouco e pouco, Tove vai-se tornando uma personagem decisiva nesta trilogia, o seu futuro e o de Wendy podem estar relacionados e a estabilidade da comunidade sobrenatural de trolls pode depender das atitudes dos príncipes, Wendy e Tove.

Neste segundo volume, descobrimos o passado da Rainha Elora e do Rei Oren, que são de Tribos inimigas, a Rainha dos Trylle e o Rei dos Vittra. Os Vittra são uma tribo inimiga, que comete crimes para alcançar os seus objectivos.

A construção das personagens evoluiu positivamente, embora a personagem Finn não tenha tido as atitudes mais emotivas que deveria ter, mas esta é uma personagem pouco emotiva e muito racional.

A personagem Loki veio mexer com as emoções de Wendy, que se desilude constantemente com o afastamento de Finn.

Gostei bastante desta leitura e espero que o epílogo desta trilogia seja igualmente cheio de acção, romance e boas surpresas, como teve este segundo volume.

Recomendo a trilogia Trylle, de Amanda Hocking, a qualquer fã do género Fantástico, que pretenda uma leitura descontraída, divertida e emocionante.

Advertisements

We love comments. If you wish, you can comment here and we'll try to reply to you as soon as possible. Thank you for stopping by :)

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s