{Inês} Review: O Palácio da Meia-Noite (PT)

portugueseposts

Review by Inês (PT):
O Palácio da Meia-Noite
(Le Palacio de la Medianoche)

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Tradutor: Maria do Carmo Abreu
Data:
 30 de Maio de 2013 (originalmente 1 de Junho de 1998)

Editora: Planeta Manuscrito
Páginas: 279 (Capa mole)
Género: Romance | YA | Paranormal
Série: La Trilogia de la Niebla #2
Idioma: Português
ISBN: 9789896573881
Cups:
4be0c-4cups


A Minha Opinião:

Carlos Ruiz Zafón,  mais uma vez, emocionou – me com as suas palavras assim que li a primeira página deste livro,  palavras que demonstram uma enorme gratidão para com o “amigo” leitor,  dando uma prova de verdadeira humildade.

Zafón surpreende o leitor novamente com a sua mestria como exímio contador de histórias que é. Desenvolve um novo cenário,  de forma subtil, pois Calcutá passa despercebida com algumas descrições dos seus palácios.

A sua narrativa pode conter um ponto ou outro contraditório,  mas mesmo sem a experiência de hoje, Zafón deixou esta história com a tarimba daquele tempo, segundo o próprio autor, dando uma prova de humildade aos seus fãs.

Mesmo assim, este livro não me agradou tanto quanto todos os outros que já li do autor.

A história não me cativou como todas as outras, embora seja repleta de acção e aventura,  com jovens destemidos,  com passados complicados e vidas difíceis.

No início da narrativa, um inglês,  Peake, põe em perigo a sua própria vida ao salvar dois bebés gémeos.

Ao longo da narrativa a acção passa-se em Calcutá,  na Índia,  entre o ano de 1916 e o ano de 1932. O narrador da história é Ian, o melhor amigo da personagem principal,  Ben. Gostei do facto do autor escolher uma personagem secundária como narrador.

O epílogo da narrativa é emocionante, mas proporciona revelações um pouco previsíveis, na minha opinião. Confesso que esta leitura não me agradou tanto quanto todas as outras, mas isso deve – se à história em si e às personagens,  que não se tornaram tão especiais, nem tão próximas de mim como leitora, como muitas outras dos restantes livros que li de Carlos Ruiz Zafón.

Gostei mais do primeiro volume desta trilogia (Trilogia da Neblina), O Príncipe da Neblina, o segundo volume é O Palácio da Meia-Noite e o terceiro, As Luzes de Setembro, que ainda não foi editado em português.

Estes volumes têm em comum o facto de serem dedicados ao público juvenil,  baseados em histórias de terror e suspense.

Esta trilogia, até agora,  não tem personagens em comum,  as histórias são independentes tendo apenas em comum o género Young-Adult/Paranormal.

Sete jovens fazem parte da Chowbar Society,  mas não são todos internos do orfanato St. Patrick.  As reuniões secretas tinham sempre hora e local marcados.

Jawahal é o vilão da história,  que pretende cumprir os seus planos malévolos,  com a ajuda do “Pássaro de Fogo”, um comboio de fogo que este vilão maléfico usa para instalar o pânico e cumprir os seus planos.

As personagens guardam segredos importantes que o autor vai revelando gradualmente,  o que motiva o leitor a ler mais um capítulo em busca de mais acção e aventura.

Recomendo a escrita de Carlos Ruiz Zafón,  embora este livro não tenha sido tão do meu agrado como todos os outros que já li deste autor, incentivo à sua leitura e desejo sinceramente que se deslumbrem com a escrita de Zafón,  tal como eu.

Advertisements

We love comments. If you wish, you can comment here and we'll try to reply to you as soon as possible. Thank you for stopping by :)

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s