{Inês} Review: A Rainha Corvo (PT)

portugueseposts

Review by Inês (PT):
A Rainha Corvo
(The Raven Queen)

Autor: Jules Watson
Tradutor: Inês Passos
Data:
 17 de Fevereiro de 2012 (originalmente 22 de Fevereiro de 2011)

Editora: Bertrand Editora
Páginas: 566 (Capa mole)
Género: Fantasia | Romance Magia
Série: A Lenda do Cisne #1/ A Rainha Corvo #1

Idioma: Português
ISBN: 9789722523875
Cups:


A Minha Opinião:

Esta história foi inspirada nas lendas irlandesas do Ciclo de Ulster. Esta foi a minha estreia com a autora Jules Watson. Não tive a oportunidade de ler o livro A Lenda do Cisne, mas gostaria de lê-lo, um dia mais tarde.

Confesso que a sinopse deste livro, A Rainha Corvo, me atraiu de imediato,  quando a li pela primeira vez.  Adorei a história de Maeve, a Rainha Corvo. Vale a pena ler este livro para se conhecer as personagens principais: Maeve e Ruán.

Maeve era a moeda de troca que o seu pai usava para selar alianças poderosas, obrigando-a a casar três vezes. Conor de Ulaid é o terceiro marido de Maeve, que a usou para se apoderar do seu reino de origem. 

Maeve conquista a espada de seu pai e torna-se uma guerreira que luta para ser rainha com o objectivo de proteger o seu povo, salvaguardando o seu reino. 

Maeve é uma mulher corajosa, inteligente e determinada que luta pela sua independência e pelo seu povo. É uma guerreira/cavaleira com o objectivo de ser rainha,  mas para isso tem de vencer o poder do seu pai e a hegemonia do seu irmão,  que quer ser rei. Ainda tem de enfrentar o seu terceiro marido, Conor, um líder que pretende conquistar todo o reino para si próprio. 

Maeve simboliza a Deusa, a Mãe. Ultrapassou a dor da perda, do abuso físico,  simbolizando a fertilidade e a coragem. 

Ruán encarna o misticismo, o lado sobrenatural desta história. As suas capacidades físicas desenvolvem-se no limite, lutando com a sua solidão, esperando sempre pela presença de Maeve. O druida muda Maeve para sempre e proporciona uma das partes mais interessantes desta leitura.  Filho de pescadores, que enfrenta a miséria e toma a decisão de se tornar druida,  refugiando-se nos lagos do reino de Maeve. 

As personagens secundárias são muito importantes ao longo da narrativa e acompanham os protagonistas, Maeve e Ruán, para o bem e para o mal.

A autora descreve os cenários de uma forma meticulosa e imaginativa que faz com que o leitor veja o campo de batalha e sinta a acção a decorrer. Mas, para mim, algumas descrições foram demasiado repetitivas e perlongadas ao longo de imensas páginas,  o que tornou a minha leitura lenta e demorada. 

A escrita de Jules Watson é extremamente descritiva e detalhada , o que torna a leitura interrupta, na minha opinião. 

As partes mais interessantes desta história referem-se à personagem principal,  Maeve, que se tornou a minha personagem preferida, que simboliza a força numa sociedade que remota ao século I a. C. , a chamada Idade do Bronze.

Advertisements

We love comments. If you wish, you can comment here and we'll try to reply to you as soon as possible. Thank you for stopping by :)

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s